Foi publicado o novo número da TeoLiterária: Teotopias: Lugares de encontro entre teologias e literaturas [v. 11, n.º 23 (2021)], na sequência do I Colóquio Internacional TEOTOPIAS: “Trazida ao espanto da luz”, no centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen, organizado pela Cátedra Poesia e Transcendência, nos dias 8 e 9 de novembro de 2019, no Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa.

ÍNDICE:

Editorial: Será qualquer poema a última hipótese de se escrever ainda? [pp. 5-14]
José Pedro Angélico, José Rui Teixeira, Alex Villas Boas

Teotopias como lugar comum entre teologia e literatura [pp. 15-34]
Alex Villas Boas

O Ano de 1919 [pp. 35-50]
Luís Fernando Adriano Carlos

Redenção e deformidade – A poética do estranhamento como discurso teológico da modernidade [pp. 51-116]
Teresa Bartolomei

Agua de los abismos. Raíces de la poética de Miguel de Unamuno [pp. 117-149]
Miguel García-Baró

Razón teológica del arte literario [pp. 150-169]
Pedro Rodriguez Panizo

O transcendente, o sagrado e o cristão na obra de Sophia de Mello Breyner [pp. 170-179]
Arnaldo de Pinho

No tempo dividido – Mistagogia da temporalidade na poesia de Sophia [pp. 180-193]
José Rui Teixeira

O espanto da luz e a inocência da carne (a poesia de Sophia de Mello Breyner e de Adélia Prado) [pp. 194-220]
Maria Clara Bingemer

“Silêncio de luz”: mística musical em Jorge de Sena [pp. 221-232]
Ana Paixão

Frei Agostinho da Cruz: um poeta para o nosso tempo [pp. 233-245]
Ruy Ventura

De poderes abrir a vida: sobre a casa na poesia de Luiza Neto Jorge e de Daniel Faria [pp. 246-263]
Jorge Teixeira

Persigo a un colibrí de la hermosura, lo sagrado en el espacio poético y el espacio poético como sagrado en Amelia Biagioni [pp. 264-281]
Ana Rodriguez Falcón

“Ó flor que é impossível ver”: a associação metonímica como princípio de continuidade em Toda a Terra, de Ruy Belo [pp. 282-300]
Helder Moreira

Alejandra Pizarnik: trazida (também) ao espanto da luz [pp. 301-312]
Mariano Carou

“Busco el nacer de la luz…” Decir el desierto y la sed en la poética de Hugo Mujica [pp. 313-326]
Silvia Julia Campana

O Sagrado e o Mistério como categorias de análise e interpretação do Religioso na Literatura: a leitura de Dalila P. da Costa do Moby Dick de Melville [pp. 327-342]
Martinho Tomé Soares

“Os deuses são uma funcção do estylo”: A mitologia clássica na história cultural da Europa [pp. 343-379]
Steffen Dix

De mãos vazias perante a morte: sobre o vazio de Deus em Vergílio Ferreira [pp- 380-393]
Pedro Pereira